10/05/2017 às 22:24:56 - Atualizado em 10/05/2017 ás 22:29:03 Imprimir

A produtividade é o grande trunfo do sistema hidropônico.

A hidroponia é uma atividade recente no Brasil, que já se destaca como uma das grandes revelações dos meios produtivos. No início, a técnica privilegiava o plantio do alface, relegando as outras culturas a plantações experimentais. O cultivo de tomates em sistema hidropônico, entra nesse contexto com grandes perspectivas de lucro para o produtor rural.

Os requisitos básicos para o sucesso no cultivo,  como qualidade, produtividade e oferta constantes, são plenamente alcançados com a hidroponia. O aumento da produtividade dos tomateiros com a utilização dessa técnica tem sido de 20% a 25%, em comparação ao obtido pelo cultivo em solo, por causa de fatores como a ausência de insetos e doenças.

As maiores vantagens do cultivo hidropônico incluem eficiência na regulação da nutrição, possibilidade de cultivo em diversas regiões do mundo com carência de terras cultiváveis, utilização mais eficiente da água e dos fertilizantes e maior densidade de plantio, resultando em um incremento na produtividade.

Devido à maior uniformidade na colheita e eficiência no uso da água para fins de irrigação, a hidroponia no cultivo do tomate possibilita obter produtos de boa qualidade. De acordo com o professor Carlos Alberto G. de Moraes, no curso Hidroponia – Cultivo de Tomate, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, “o sistema hidropônico habilita o estabelecimento de um controle de nutrição perfeito e estável, e uma planta bem nutrida gera frutos maiores e mais saudáveis. A produtividade é o grande trunfo do sistema hidropônico. Desde que se conduza uma nutrição bem balanceada, é possível contar com safras bastante estimulantes. Atualmente, temos atingido valores cerca de três vezes maiores que as médias de campo. Essa taxa pode chegar a quatro vezes”.

No Brasil, o cultivo de tomates, por meio da hidroponia, ainda não atende à demanda. Pela sua diferenciação em qualidade e oferta, a atividade tem se destacado, mostrando claramente que a tomaticultura pode tomar novos rumos.